Sobre os conflitos todos

Há quem diga que sou dominadora. Talvez eu deseje mesmo querer dominar o que será a minha vida, os passos que vou seguir daqui um ano, daqui há 10 anos… Às vezes, no auge dos meus 32 anos fico cheia de angustias pensando que as coisas não aconteceram como eu queria, ou que não alcancei aquilo que seria suposto para a idade. Já falei isso aqui outras vezes. E já estava até convencida da beleza do incerto, que falei aqui. No entanto, os conflitos, por vezes, aparecem de forma avassaladora e me desestabilizam. Ainda mais nesse momento de mudanças e de turbilhão de emoções. A distância de estar longe de quem se ama e a disposição para a arrumar as malas novamente faz com que os conflitos retomem.

Daí que esses dias li dois textos sobre esses conflitos, e percebi que não estava sozinha. Afinal, são sentimentos universais.

Um deles foi escrito pela Marcella Brafman e publicado no Chata de Galocha. Diz respeito a necessidade de que a gente tem de tentar adivinhar o futuro numa bola de cristal. Difícil, né? Se não, impossível. Mas gosto de como ela termina o texto: “Sem querer ser piegas, mas o segredo é perguntar a si mesma se o que você está fazendo hoje, te aproxima da pessoa que você quer ser amanhã. Sim? Então se joga”

dizer-1O outro texto é da Ruth Manus e foi publicado no Estadão. Também diz desses conflitos e do que criamos no nosso imaginário que seria uma vida resolvida. Afinal, como ela diz: o que seria uma vida resolvida?

Ter casa, família, plano de saúde, emprego dos sonhos???

Eu em fase final do doutoramento sinto tudo isso e fico tentando vislumbrar o futuro na bola de cristal. Já me disseram que essa fase é assim, a gente sente de tudo.

Por enquanto, vou sentindo…. vivendo…. errando e, quem sabe, acertando.

O melhor é que nisso a gente aprende, vai e volta, se joga com toda a vontade de ser feliz.

Anúncios

Um comentário em “Sobre os conflitos todos

Adicione o seu

  1. Essa angustia, com certeza não é só sua. Qual ser humano, não ” remexe na cadeira” e se pergunta se é isto mesmo que o faz feliz?
    Acho que o importante é viver um dia de cada vez. Devemos fazer planos sim, mas não podemos viver somente em função de uma amanhã.
    Enquanto não chega o futuro, vamos vivendo o presente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: